Dentre os vários significados que a palavra modelagem tem, enfatizamos o significado de “dar forma”.  Uma das grandes técnicas utilizadas pela Análise Experimental do Comportamento e que fascina os alunos de Psicologia, pauta-se em um procedimento chamado modelagem. Esse método consiste em dar forma ou instalar comportamentos em um organismo vivo.

            A modelagem pode ser considerada como um processo “passo a passo”; suponha que uma pessoa queira aprender a dirigir um carro; em primeiro lugar ela irá estudar as leis de trânsito, o funcionamento mecânico do automóvel, como passar marcha acelerar, frear, pisar na embreagem e etc…, até que ela adquira habilidades para dirigir sozinha.

            Em um laboratório, com condições estritamente controladas, podemos ver o processo de modelagem de uma forma mais nítida e precisa. Suponha que o comportamento final que eu quero instalar em um rato de laboratório é fazer com que ele pressione uma barra e em seguida beba água, porém meu animal não possui tal aparato, como devo prosseguir? Em primeiro lugar é necessário medirmos a linha de base, ou seja, verificar os comportamentos que o rato emite sem que eu interfira nesse processo. É muito comum que os ratos farejem a barra, subam ao lado da barra e até mesmo a toquem, porém o processo de aprendizagem não será tão eficaz, pois não houve  conseqüências reforçadoras.

            Após a verificação dos comportamentos da linha de base, eu devo estabelecer a ordem em que os comportamentos serão reforçados. Eu poderia estabelecê-los da seguinte forma:

1 – Caminhar em direção a barra

2 – Chegar mais perto da barra

3 – Farejar a barra

4 – Levantar

5 – Tocar a barra

É importante ressaltar que nessas condições o rato deverá estar estritamente privado de água, pois a probabilidade de que ele se comporte a fim de obter água é muito maior. A cada comportamento emitido pelo rato eu devo reforçá-lo com água, isso fará com que ele repita esse comportamento reforçado por mais vezes para receber água. Quando eu discriminar que o meu rato aprendeu a emitir determinado comportamento e obter água, eu devo reforçar o comportamento seguinte. É importante lembrar ao leitor que se o reforço não for dado por um determinado tempo, ele perde o seu efeito, ou seja, se eu conseguir que o meu rato tenha um comportamento de caminhar em direção a barra e após esse evento estabelecer um novo critério de reforçamento e ele não emitir esse segundo comportamento, a probabilidade de que ele pare de se comportar é muito maior devido a ausência de conseqüências reforçadoras, portanto eu devo retornar ao procedimento inicial e fazê-lo novamente.

Seguindo esse modelo passo a passo, o rato conseguirá finalmente tocar a barra e beber água. Após a realização do último passo, podemos dizer que houve a ocorrência da modelagem, gerando a aquisição de novos comportamentos.

O processo de aprendizagem por modelagem é muito funcional em nossa cultura, é utilizado principalmente por Psicólogos, professores, educadores e pelos meios de comunicação. Mas esse é um assunto que discutiremos no próximo post, até mais.

O vídeo abaixo foi um exemplo de modelagem retirado do youtube, na ocasião foram listado outros comportamentos que foram reforçados passo a passo.

Créditos: Alunos da universidade Unicentro.

Anúncios