O presente texto pretende apresentar de uma forma bem simplista o conceito de contingências utilizado na Análise do Comportamento, a fim de trazer uma maior compreensão ao leitor. As contingências se configuram como um termo amplamente utilizado na Análise do Comportamento para dar significado as relações de controle entre eventos (um organismo que se comporta e o efeito desse comportamento sobre o ambiente e sobre o organismo. De acordo com Catania (1999,p.94) as contingências são “ …. o efeito de uma resposta sobre a probabilidade de um estímulo”.

            Segundo Souza (2001, p.85), “o enunciado de uma contingência é feito em forma de afirmações do tipo se…, então… A cláusula ‘se’ pode especificar algum aspecto do comportamento ou do ambiente e a cláusula ‘então’ especifica o evento ambiental conseqüente”. Nesse aspecto, tais enunciados apresentam-se como regras para especificar as relações entre os eventos.

            Quando tratamos do comportamento operante (organismo que modifica o ambiente), as contingências se referem às condições sob as quais uma conseqüência é produzida por uma resposta, ou seja, a ocorrência de uma conseqüência depende da ocorrência da resposta. Assim, abrir a janela em dias de chuva pode produzir uma conseqüência: não a ocorrência de um relâmpago, mas a oportunidade de vê-lo. Segundo Machado (2005, p.17),

 “E é justamente a relação que vai sendo construída entre estímulos antecedentes, resposta e conseqüência que permitirá observar um possível controle da resposta pelo estímulo antecedente (…). O que torna um evento contingente é a história de reforçamento em relação a este evento e seus efeitos.”

Anúncios